Cirugia Plástica

Cirugia Plástica

Medicina Estética - Peeling Cirugia Plástica - Peeling

Medicina Estética - Peeling



Voltar para Medicinas Estéticas

Tramento Facial

Peeling Químico ou Mecânico da pele

     O Peeling é um abrasão da pele, realizado através de ácidos, lixamento ou laser. Visa a renovação da pele a partir da descamação das camadas mais superficiais (epiderme e/ou derme superficial). Com esta descamação, a pele é renovada a partir das camadas mais profundas, ficando com aspecto rejuvenescido - com menos manchas, rugas e com melhor turgor.

     A profundidade do peeling depende do tipo de ácido ou técnica utilizada. Quanto mais agressivo for o ácido, mais profundo será o peeling, com conseqüente melhores resultados e maior risco de complicações.

    Os peelings superficiais (p. ex: ácido glicólico ou retinóico) propiciam uma descamação leve, retirando apenas as lesões mais superficiais da epiderme. Pôr ser menos agressivo, não necessita de repouso ou recuperação, podendo o paciente voltar às atividades no mesmo dia.

     Os peelings médios (p. ex: ácido tricloroacético) levam à uma descamação intensa, necessitando de 7 a 14 dias de recuperação. São mais agressivos e efetivos que os peelings superficiais, retirando manchas e rugas de média profundidade.

     Já os peelings profundos (p. ex: fenol ou laser de CO2) levam à formação de crostas, as quais demoram até 21 dias para caírem. São os peelings mais agressivos, necessitando anestesia para a realização. Por atingirem as camadas mais profundas da pele, propiciam os melhores resultados, mas também as maiores chances de complicações.

     No caso do dermoabrasão (lixamento da pele), o médico é quem vai controlar a profundidade do peeling, podendo este variar desde o superficial ao profundo.

Perguntas Frequentes sobre Peeling Químico ou Mecânico da pele