Diferenças entre tipos de “Lipos”

Home » Diferenças entre tipos de “Lipos”
Dr. André Colaneri

Cirurgia Plástica
Dr. André Colaneri

tit_artigos

Diferenças entre tipos de “Lipos”

     Lipoaspiração: é uma técnica cirúrgica, na qual a gordura (lipo) é aspirada através de uma cânula. É da especialidade da Cirurgia Plástica, sendo regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina como especialidade cirúrgica, ou seja, apenas os cirurgiões estão aptos a realizá-la. (veja link abaixo do texto)

Lipoescultura: é uma lipoaspiração na qual parte da gordura aspirada é enxertada (injetada) em outra parte do corpo (glúteos, depressões, vincos da face, etc) visando um preenchimento desta área. Parte da gordura enxertada (em torno de 40%) é reabsorvida. A gordura que “pegar” fica permanentemente no local aplicado.

Vibrolipoaspiração: é a lipoaspiração realizada a partir de um aparelho que faz a cânula vibrar, facilitando a penetração na gordura, a aspiração menos traumática, menor dor pós-operatória, menor sangramento,. Desvantagem: um custo adicional devido ao uso do aparelho.

Lipoaspiração Ultrassônica: é a lipoaspiração em que na primeira fase da cirurgia se insere uma cânula com ponta de ultrassom, que visa liquefazer a gordura. Logo em seguida, faz-se a lipoaspiração tradicional, para aspirar a gordura liquefeita e a que não foi totalmente liquefeita. A vantagem é uma menor dor pós-operatória, menor sangramento. Desvantagem: custo adicional pelo aparelho, risco de queimadura de terceiro grau pela cânula de ultrassom, lesão da gordura pelo ultrassom, impedindo de enxertá-la (lipoescultura).

Lipoaspiração a Laser: é igual à ultrassônica, mas com laser no lugar do ultrassom. É muito pouco realizada, sendo seus resultados ainda pouco estudados. Tem também o risco de queimadura da pele pelo laser.

Hidrolipoclasia: é um procedimento não cirúrgico (sem cânula), onde se injeta soro fisiológico ou água destilada na gordura e depois se realiza ultrassom externo, visando liquefazer a gordura. Vantagem: não ser cirúrgico, poder ser repetido inúmeras vezes. Desvantagem: ser doloroso se usado água destilada, ter resultados frustrantes, pois o ultrassom externo é pouco eficaz.

HLPA: conhecida também como hidrolipo aspirativa, é a associação da hidrolipoclasia e a lipoaspiração tradicional ou vibrolipoaspiração. Vantagem: menos dolorosa, devido à ação antiinflamatória e analgésica do ultrassom. Desvantagens: geralmente realizada por setores (por partes do corpo), são necessárias várias sessões, com várias recuperações e procedimentos, tendo muitas vezes um custo maior do que uma lipo realizada em tempo único. A freqüência de irregularidades é maior do que as lipos realizadas em tempo único. A noção que fazer vários procedimentos menores em clínicas ou consultórios é mais segura do que um procedimento único e mais extenso em hospital, também é equivocada.

Mini Lipo: é uma lipoaspiração realizada por setor (por partes), com volume menor lipoaspirado, geralmente realizada em clinicas ou consultórios. A vantagem é um procedimento menor, menos doloroso e com recuperação mais rápida do que uma lipo em tempo único. Desvantagens: maior chance de irregularidades, menor satisfação com a retirada menor de gordura do que o esperado. Novamente, a noção que fazer vários procedimentos menores em clínicas ou consultórios é mais segura do que um procedimento único e mais extenso em hospital, também é equivocada.

Lipo Tumescente: É um nome diferente para a mesma coisa (minilipo, lipo-light). Em todo tipo de lipoaspiração citado se injeta anestésico, soro fisiológico e adrenalina. Ou seja, toda lipo é tumescente (entumesce a gordura com este liquido).

Lipo Light: igual à Mini lipo.

Considerações Importantes:

1) Como foi visto, todos os procedimentos acima (exceto a hidrolipoclasia) são de alguma forma lipoaspiração e, portanto, deverão ser realizados apenas por cirurgiões. O Conselho Federal de Medicina, órgão máximo que regulamenta a medicina no Brasil, não reconhece como especialidade médicos de “medicina estética”. Sendo assim, somente os cirurgiões plásticos são gabaritados e legalmente habilitados a fazerem qualquer tipo de lipo.

Infelizmente hoje em dia muitos médicos não cirurgiões plásticos se dizem “especialista em medicina estética”, sem no entanto nem existir esta especialidade! As lipos em consultórios e de menor porte são muitas vezes realizadas por estes profissionais, que não têm autorização e não podem realizar uma lipo maior em hospital, por não serem especialistas. Como em qualquer ramo da medicina, a segurança está diretamente relacionada com a escolha de um especialista.

Veja os links das autoridades responsáveis:

www.sbcd.org.br/pagina.php?id=164
(Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica)

www.cremesp.org.br/legislacao/pareceres/parcrm/23421_2004.php
(Conselho Federal de Medicina)

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/index.php?option=com_content
(Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica)

2) Pondere sempre se várias recuperações e procedimentos são mais vantajosos que apenas um. Como dito anteriormente, o risco de vários procedimentos fora de ambiente hospitalar não é mais seguro do que apenas um em ambiente hospitalar. Muitas vezes, vários procedimentos menores ficam mais caros que apenas um maior.

3) As lipos menores (Mini Lipo, Lipo Light, HLPA) são bem indicadas para pacientes com pouquíssima gordura, em que um único procedimento resolve.

Dr. André Gonçalves de Freitas Colaneri
Cirurgião Plástico Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica